quinta-feira, 29 de março de 2012

Bullying e Religião

Professora evangélica prega em aula e aluno sofre bullying na escola

 
Adolescente e seus pais em casa (Foto: Tiago Silva/DGABC) 

Adolescente de 15 anos passou a ser vítima de bullying e intolerância religiosa como resultado de pregação evangélica realizada pela professora de História Roseli Tadeu Tavares de Santana. Aluno do 2º ano do Ensino Médio na Escola Estadual Antonio Caputo, no Riacho Grande, em São Bernardo, o garoto começou a ter falta de apetite, problemas na fala e tiques nervosos.

Ele passou a ser alvo de colegas de classe porque é praticante de candomblé e não queria participar das pregações da professora, que faz um ritual antes de começar cada aula: tira uma Bíblia e faz 20 minutos de pregação evangélica aos alunos. O adolescente, que no ano passado começou a ter aulas com ela, ficava constrangido. Seu pai, o aposentado Sebastião da Silveira, 64 anos, é sacerdote de cultos afros. Neste ano, por não concordar com a pregação, decidiu não imitar os colegas. Eles perceberam e sua vida mudou.

Desde janeiro, ele sofre ataques. Primeiro, uma bola de papel lhe atingiu as costas. Depois, ofensas graves aos pais, que resolveram agir. "Ficamos abalados", disse Silveira. "A própria escola não deu garantias de que meu filho terá segurança."

O garoto estuda na unidade desde a 5ª série. Poucos sabiam de sua crença. E quem descobria se afastava.Da professora, ouviu que pregação religiosa fazia parte do seu método. Roseli não quis comentar sobre o caso.

A Secretaria Estadual da Educação promete que a Diretoria de Ensino de São Bernardo irá apurar a história e reconhece que pregar religião é proibido pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.
Na escola, os alunos reclamam da prática. "Não aprendi nada com ela. Só que teria de ter a mesma religião que ela", disse um menino de 16 anos.

O que acha disso?
Escreva para nós! 

quarta-feira, 21 de março de 2012

Trabalho sobre Bullying


Oi pessoal,

Para quem precisa de ideias para fazer o trabalho escolar sobre bullying, deixo aqui a minha sugestão. Façam um estudo de caso, analisando três ou quatro situações de conflito. A pergunta é: neste caso existe bullying ou não?

Analisem cada situação e para verificar a presença do fenômeno observem as suas características: agressão física e psicológica entre pares, que ocorre de maneira intencional, frequente, sem motivação, causando uma consequência.

Aqui no blog Bully: No bullying você encontra, detalhadamente, a explicação de cada característica do bullying e, dessa forma, você poderá analisar os casos identificando quando ocorre bullying ou não!

A professora vai adorar!

Fica a dica!

Abraços, Carol! 


terça-feira, 20 de março de 2012

Reforma - Organizando o blog

Oi Pessoal!

Estou organizando o blog e colocando marcadores em todo o conteúdo aqui do Bully: No Bullying!

O trabalho vai longe, afinal são 3 anos de Blog e isso rendeu, e ainda rende, muito assunto. Agora, as postagens serão divididas em reportagens, vídeos, matérias, entrevistas, imagens, casos, características, etc... Tudo para facilitar a pesquisa de vocês sobre bullying

Portanto, ao fazer sua busca aqui no blog, não se prenda, ainda, ao índice do marcador. Leia também a seção "Arquivo do Blog", ok?

E desculpe-me pelo transtorno!

Carol!!!

Denúncia de mais um caso - O desabafo de um alvo

"Oi, meu nome é Ricardo (nome fictício), tenho 15 anos e estudo na escola estadual onofre pires em santo angelo -RS comecei a estudar lá esse ano no primeiro ano do ensino médio, desde que comecei a estudar lá venho sofrendo bulling por quase toda a turma e inclusive por parte de alguns professores, quando perguntei a minha professora de geografia porque ela não fazia nada enquanto eu sofria agressões verbais ela disse "a aula é uma democracia", eu venho sendo agredido desde que me assumi gay, alguns alunos estavam simulando sexo oral e anal em um ursinho de pelúcia e me chamando de viado,viadinho,gayzinho,chupa rola,pau no cú entre todas as ofensas posiveis, e hoje durante a aula de física um colega de classe veio me xingando e perguntando se eu queria apanhar porque era viado, e eu respondi: eu não tenho medo de você, e na saida ele disse "se você não tem medo de mim, vai levar facada pra aprender", no final da aula eu falei pra minha professora pra ficar um tempo a mais durante a aula, ela nem fez conta, eu não levei a serio, e sai da escola normalmente fiz uma menção a ficar mais tempo pra ajudar a professora(mas ela me ignorou e fez que não ouviu), eu sofri bulling na outra escola que eu estudei pelo mesmo motivo CORAGEM DE DIZER QUEM SOU, na saída ele veio em minha direção e gritou VOCÊ NÃO TEM MEDO DE MIM! e fez que ia tirar uma faca do bolso e eu peguei uma lapis da minha mochila pra me defender(agora eu percebi que foi uma ideia idiota), e le deu uma rasteira e me derrubou no chão(era no asfalto) e quebrou meu lapis, depois ele me segurou e comecou a me chutar e a me dar socos, metade da turma viu e ninguem fez nada, isso foi de dia a tarde e no centro, muita gente viu e saiu do comercio pra me ajudar e para separar a briga(não sei se fariam o mesmo se soubessem o que eu sou) a diretora estava chegando e ela viu eu apanhando e ela me ajudou(tem professoras que são legais, mas tem algumas que são maldosas) ela me acudiu e também outras professoras do turno da tarde(que não sabiam que eu era gay) viram e me ajudaram, e me levaram para delegacia para eu fazer B.O eu cheguei muito assustado e nem disse que eu sou gay (SEI QUE TALVES SE EU TIVESSE DITO NINGUEM TERIA DADO ATENÇÃO), cheguei lá chorando e humilhado, eu tenho medo que aconteça alguma coisa comigo, eu queria que alguém me ajudasse! antes que eu virasse mais nas estatísticas de LGBT mortos, as vezes eu sinto que ninguém gosta de mim e que a unica solução pra mim é me matar, POR FAVOR ALGUEM ME AJUDA!"

Esta é a carta de um alvo de bullying pedindo ajuda.
Uma rádio da cidade abordou o pedido de socorro e o município de 75 mil habitantes na Região das Missões, a 459 km de Porto Alegre, próximo à fronteira com a Argentina, conheceu mais este caso de homofobia e agressão. O menino, aluno do primeiro ano do ensino médio, denuncia que sobre preconceito pelos alunos do colégio onde estuda e até de professores. Que ao ser ameaçado por outros alunos pediu socorro aos professores que o ignoraram. Ele era xingado em plena sala de aula e chegou a ser ameaçado de morte. Tudo isso por ser homossexual assumido. Ele chegou a ser perseguido fora do horário de aula e foi agredido por outros alunos com socos e pontapés até que a diretora e outros transeuntes o socorreram. O fato aconteceu no último dia 13 e dois dias depois o menino denunciou o ocorrido.

Com a repercussão do caso, foi feito um boletim de ocorrência e os agressores serão punidos, garantiu o coordenador regional da 14ª CRE, Adelino Seibt, em entrevista no programa Rádio Visão. Os pais dos alunos foram chamados e foi registrado o caso em ata. A punição pode chegar de suspensão a transferência do agressor. O incidente levou a secretaria estadual de Educação a ver a importância do debate do tema bullying nas escolas.

Por sorte, o rapaz conta com uma família que o dá suporte, mesmo assim, pelo relato do rapaz, é possível ver como é difícil o combate ao bullying sem apoio institucional – seja da família, seja da Escola. Deste modo, urge a necessidade de um programa como o Escola sem Homofobia, que não resolve por si só, mas dá ferramentas para alunos, pais e professores possam identificar e intervir em momentos críticos e decisivos.

Apesar da rápida solução do caso, os pais do garoto decidiram transferi-lo para uma escola particular, onde entendem que o filho estará mais seguro.
"Fonte: Santo Angelo-RS"

(Foto: "O amor é mais alto do que .... a pressão para ser perfeito". Demi Lovato)

segunda-feira, 19 de março de 2012

Bullying ou Assédio Moral?

Assistam a entrevista da Carolina Giannoni Camargo sobre as diferenças entre bullying e assédio moral.


Curso sobre Bullying

 
Olá Amigos,


O curso da Semeare  para educadores sobre bullying é um sucesso desde 2009. Afinal, ele é elaborado por especialistas em treinamentos e pesquisadoras de bullying. São várias opções: de 3, 5 ou 10 módulos que se adéqua a necessidade da escola e/ou do município. Entre em contato conosco para mais informações e não deixe sua escola fora dessa oportunidade. 


contato.bullying@yahoo.com.br 

Nem tudo é bullying!

O QUE É BULLYING? QUAIS AS MANEIRAS DE PREVENÇÃO E COMBATE A ESTE CONFLITO?
Por Carolina Giannoni Camargo

Bullying é uma situação de agressão física e/ou psicológica entre pares e possui características que o diferencia de outros tipos de violência existentes dentro das escolas, tais como: intencionalidade, freqüência nas agressões, gratuidade e conseqüência.

O autor de bullying, aquele que comete as agressões, possui a intenção clara de se destacar e, para isso, escolhe o caminho da violência para ser o valentão da turma.

O fenômeno é repetitivo, a criança que sofre com o bullying vivencia tais situações constantemente e quando ocorre na escola, a freqüência das agressões pode ser diária.

O alvo, aquele que recebe as agressões, não precisa ter provocado o autor para que este se sinta no direito de agredi-lo fisicamente e moralmente, portanto o bullying é uma violência gratuita.

Não existe bullying sem conseqüências. Podemos dizer que a diferença está na gravidade entre elas, uma vez que existam conseqüências que vão desde a desconcentração nas atividades escolares até mesmo a assassinatos e suicídios.

Como prevenir?

Por meio de projetos eficazes: as escolas devem capacitar seus educadores e funcionários, envolver os alunos dentro do projeto para que se sintam parte e responsáveis por ele, fazer palestras constantemente, convidar os pais para participarem, passar dicas de como os pais devem agir em casa evitando que seus filhos se envolvam com o fenômeno, convidar profissionais capacitados e experientes com o fenômeno bullying como apoio durante o projeto.

Como combater?

Caso existam pessoas já envolvidas com o bullying é preciso unir pais e escola, para que juntos possam decidir quanto ao encaminhamento psicológico, estratégias pontuais e a implantação do projeto de prevenção, para assim evitar que outros casos apareçam.

Podem copiar, mas não esqueçam de colocar a referência:
"Camargo, Carolina Giannoni. O que é bullying? Quais as maneiras de prevencao e cobate a este conflito? Em: . Acessado em: dia de acesso."

Palestras da Semeare em Paulínia

A Semeare realizará 10 palestras sobre o bullying para alunos da rede estadual de Paulínia. O trabalho faz parte da campanha contra a violência que a secretaria de educação do município realiza. Parabéns Paulínia!

Combate à Violência - 5/5/2011
Prefeitura de Paulínia inicia Campanha de Combate e Prevenção à Violência Infanto-juvenil

Foto:     Clique na imagem para ampliar
A Prefeitura de Paulínia por meio da Secretaria da Criança e do Adolescente (Seca) inicia a VII Campanha de Combate e Prevenção à Violência, uma ação de formação, informação, sensibilização e mobilização da sociedade para o problema que atinge cada vez mais crianças, adolescentes e jovens.
Durante a Campanha, a Secretaria da Criança e do Adolescente vai inves-tir em atividades educativas como: teatro, palestras para pais, alunos e educadores, cine debate, publicação e divulgação multimídia do tema, além de promover eventos junto a públicos estratégicos.
A Campanha inicia uma mobilização para proteção de crianças e adolescentes paulinenses e terá ações ao longo do ano. “A idéia é envolver a família e a sociedade para uma ação conjunta que ajude a reduzir os casos de violência contra nossas crianças e adolescentes”, explica a secretária da Criança e Adolescente.
Mais de 260 adolescentes da Escola Estadual Núcleo Habitacional José Paulino Nogueira participaram no dia 29 de abril, na Câmara de Paulínia, de uma palestra sobre bullying ministrada pela pedagoga formada na Unicamp, Aline Archangelo. No dia 25 de abril cerca de 130 pais de crianças e adolescentes atendidos pela Seca participaram da palestra sobre violência doméstica ministrada por profissionais do Centro de Prevenção, Kênia Guimarães e Patrícia Ferraz. O evento ocorreu na Sala da Imprensa do Paço Municipal no período noturno.
Para a coordenadora pedagógica da Escola Núcleo, Sônia Sigrist, a pales-trante conseguiu sensibilizar os alunos com uma linguagem simples, clara e objetiva. A escola já está trabalhando o tema em sala de aula, por isso esta parceria com a Seca é muito importante para nós.
A Campanha terá também capaci-tação para conselheiros tutelares e um curso para adolescentes de mediação de conflitos como instrumento de superação da situação de violência.
Outra novidade que a Campanha deste ano traz é o envolvimento da Promotoria da Infância e Juventude que estará ministrando palestras para os alunos das escolas envolvidas, abordando as questões do bullying e suas consequências.
De acordo com as profissionais do Centro de Prevenção da Secretaria da Criança e do Adolescente a meta é atingir 4 mil alunos das Escolas que têm nos pedido ajuda, além dos adolescentes que são atendidos nas oficinas socioeducativas da Seca. 



Fotos turma de Paulínia dia 9/5

Neste dia, mais de de 800 alunos estiveram conosco!







contato.bullying@yahoo.com.br

Quais os motivos para o bullying ocorrer?

O QUE LEVA OS JOVENS A PRATICAREM A VIOLÊNCIA CONTRA OUTROS JOVENS?
Por Carolina Giannoni Camargo


Não é apenas um único caminho que leva uma criança a se transformar em autor de bullying. Transtornos comportamentais, portadores de psicose e, na maioria dos casos, crianças vítimas de uma má educação – permissiva ou agressiva em excesso – são levados a se construírem como agentes dessa violência.


O que leva estas crianças a escolherem outras para praticarem o bullying são as características do alvo.


O autor de bullying, antes de escolher alguém para praticar as agressões, observa as características internas de determinada pessoa, verificando se esta possui bastante timidez, poucos amigos, dificuldade de se expressar e a auto-estima baixa.


Os alvos podem possuir estas características de maneira permanente (quando fazem parte de seu temperamento) ou de forma temporária (devido a acontecimentos momentâneos: separação dos pais, perda de um ente querido, mudança para uma nova escola).


O autor de bullying, diferente do que muitos pensam, percebe estas características e faz da criança seu alvo, antes mesmo de olhar para as características externas. Ou seja, uma criança que possua “5 braços” – ilustrando ludicamente – jamais será alvo de bullying se possuir amigos que o ajudem a se defender, se for comunicativo e expressar logo a um adulto o seu sofrimento e se possuir uma boa auto estima.           



Podem copiar, mas não esqueçam de colocar a referência:
"Camargo, Carolina Giannoni. O que leva os jovens a praticarem a violência contra outro jovem? Em: . Acessado em: dia de acesso."

domingo, 18 de março de 2012

Direito de falar.... não de ofender!

"Algumas pessoas pensam que a liberdade de expressão significa que podem dizer o que quiserem, mas existem leis relativas a discursos de ódio". Collymore.

"O direito de expressão não dá direito a agressão moral e psicológica". Carolina Giannoni Camargo

(Foto retirada do site: http://www.focusonlinecommunities.com/blogs/pluggedin/tags/suicide)

  
Segue matéria do site Terra

Jovem é preso por insultos racistas a jogador que sofreu colapso
18 de março de 2012 16h16


O caso do ataque cardíaco de Fabrice Muamba, jogador do Bolton, já foi até para as páginas policiais. Um jovem de 21 anos foi detido no País de Gales por proferir termos racistas ao jogador por meio do Twitter. Ele ainda fazia piadas sobre o assunto com uma linguagem forte.
Quem acusou o jovem foi o ex-jogador Stan Collymore, que sofreu com racismo este ano. Ao ver o que o garoto postou na rede (a conta de @LiamStacey9 foi apagada e o conteúdo das mensagens não foi divulgado), o atual comentarista de futebol ameaçou o rapaz, também pelo Twitter.
"Os seus tweets já foram entregues à polícia. Algumas pessoas pensam que a liberdade de expressão significa que podem dizer o que quiserem, mas existem leis relativas a discursos de ódio", avisou Collymore.
O galês foi detido e a própria polícia liberou um comunicado oficial sobre o assunto. "Detivemos um homem de 21 anos devido a comentários racistas colocados na rede social Twitter. Neste momento, ele se encontra sob custódia da Polícia Central de Swansea".

sábado, 17 de março de 2012

È alvo de bullying? Respostas para as piadinhas de mau gosto...

Oi Pessoal! 
Vejam o que recebi esses dias por email... 
O que acham desse cartaz? 
Vale à pena retrucar na "mesma moeda"? 
Você teria coragem de responder desta maneira? 
Ou isso não levaria a nada? 
Escreva para nós e dê sua opinião!

Grande Abraço!!! 
Ah, e obrigada a todos que deixam mensagens aqui no blog ou no email! É muuuuito gratificante ... 

Todos contra o bullying! Todos pela educação!
Carol
:) 


sexta-feira, 16 de março de 2012

Aos espectadores de bullying....

"O que mais preocupa não é o grito dos violentos,
nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética.
O que mais preocupa é o silêncio dos bons."
Martin Luther King
 

Li e não gostei.

Acabei de ler uma matéria no site da Revista Encontro dizendo que o caso de Goiânia não foi bullying. Até aí tudo bem, nem sempre é fác...